A confeitaria no cinema: doces de filmes famosos e uma receita muito delicada!

carolinas-rosa

Eu tinha doze anos quando descobri meu amor por Cinema. Eu e meu amigo, Paulo Pandolpho, desde crianças, criávamos filmes caseiros, e toda sexta-feira era dia de gravação. Nossa amizade foi crescendo junto com nosso desejo de nos tornarmos diretores de Hollywood. Fizemos a mesma faculdade. O meu amigo Paulo mudou para Londres, virou um editor incrível, que está fazendo sua carreira internacional participando de diversas produções. Meu destino foi diferente, eu continuo apaixonada por filmes, mas percebi que prefiro assistir a eles a trabalhar na produção.

Na minha última viagem para o Rio Grande do Sul, comprei o livro da fofa Isadora Becker: Doces de Cinema. A união de dois temas que tanto gosto foi realmente irresistível! O livro possui receitas relativamente simples, e já testei algumas. Uma delas é a do Grande Hotel Budapeste, os famosos doces do Mendl´s (que a personagem Agatha fazia, lembra?). A receita dos docinhos (foto acima) está no final dessa postagem. Eu resolvi inventar um pouquinho e mudei algumas partes da original.

grand_hotel_budapest_

Separei alguns dos meus filmes preferidos que possuem doçuras em lugares que destaque no enredo. Logicamente que a maioria dos filmes mostra, em determinado momento, os personagens comendo, mas o meu intuito com essa matéria é enfatizar os filmes que dão uma atenção mais especial para os doces.

 

Filmes que possuem doces inesquecíveis

O Grande Hotel Budapeste

O filme O Grande Hotel Budapeste é daqueles que você admira pela doçura, ritmo, direção de arte e atuações. É um filme leve, bem flutuante, achei super fofo. Destaque especial para a atuação do Fiennes, que manda bem em tudo o que faz no Cinema! Os doces famosos da Mendl´s chamavam-se Courtesan au Chocolat. A receita da minha versão está no final desse post ;D

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

Um dos meus filmes favoritos é também que mais aguça os sentidos. O tato, o olfato e o paladar são, a todo o momento, instigados pela produção. Uma das coisas que a Amélie mais gosta na vida é quebrar a casquinha de açúcar do doce francês Crème Brûlée (acho que deve também gostar de comer, né?). Deixo para você a minha receita de Docinho de Crème Brûlée, que é super simples de fazer e gostosa de comer!

docinhodecremebruleedocinho

Chocolate

Esse filme é delicioso em vários aspectos. Possui uma mistura da inocência das fábulas com a dura realidade do preconceito atual. Nem preciso escrever que o doce principal é o chocolate, mas vale à pena pontuar que ele está presente de diversas deliciosas formas. Se você ficou morrendo de vontade de comer fazer um doce, lendo essa matéria, aqui está uma receita de um mousse de chocolate simplesmente ideal para esse momento.

mousse_de_chocolate

A Fantástica Fábrica de Chocolate

O filme foi lindamente filmado em 1971 e refilmado anos depois com um toque do visionário Tim Burton. No link para a página do filme, eu deixei a versão antiga, que foi, de fato, a que mais teve significado na minha vida. Nem sei quantas vezes eu vi esse filme, só sei que decorei todas as músicas e que, durante muito tempo, toda a vez que abria uma barra de chocolate, eu tinha esperança de encontrar um cupom dourado (isso não é brincadeira, é cabeça de criança). A história é cheia de mágica e, ao mesmo tempo, toca em temas delicados como a arrogância de algumas pessoas. Eu sempre lembro do meu irmão quando vejo esses filmes com um garotinho fofo no papel principal. Coisa de irmã mais velha. O garoto Charlie foi, com certeza, um exemplo de dignidade para todos.

O filme é todo recheado de doces (alguns bem estranhos por sinal). O doce que mais me marcou foi mesmo a barra de chocolate ao leite, onde as crianças poderiam encontrar o ingresso para conhecer a fábrica de Willy Wonka.

charlie

Maria Antonieta

Filme pra lá de escalafobético (termo dos anos 80 que quer dizer exagerado). Com muita cor, muita poesia e muitos doces, Maria Antonieta é um filme que eu adoro! O longa mistura a côrte real com um ritmo pra lá de frenético! Os doces aparecem o tempo todo e são super fofos!

maria_antoniera_doces

Julie & Julia

Assisti a esse filme bem antes de ser blogueira de confeitaria, mas tem tudo a ver com o que faço. A história é verdadeira e um pouco decepcionante, já que a Julia Child (referência da culinária francesa para os americanos) ignorou todo o carinho da Julie Powell por ela. Realmente isso me marcou. A gente nunca sabe o que realmente está por trás da história, mas achei bem estranho. Enfim, esse assunto à parte, o filme é gostoso de assistir, e a gente fica com fome o tempo todo. Várias receitas, doces e salgadas, são preparadas. Nesse vídeo, no site da caprichosa Martha Stewart, vemos a própria Julia em ação!

Toast

Esse é o filme da biografia da infância e adolescência de Nigel Slater, um expert em gastronomia. A história é leve e, ao mesmo tempo, incentivadora. A torta de limão que ele faz é um dos pontos altos da trama. Engraçado é que o mesmo ator que faz esse filme é o que fez a versão de Tim Burton da Fantástica Fábrica (ele é muito bom e me lembra demais meu irmão).

nigel_slater_torta_limão

Os Sabores do Palácio

Talvez esse seja o filme com menor carga emocional dessa minha lista. Não chega a ter um super ponto de virada e nem um drama pontual, mas é um bom filme. A graça da história fica por conta dos pratos e sobremesas preparadas pela Chef que, durante todo o filme, supera o preconceito que carrega por ser mulher. Despretensioso, sem muitas explicações e leve, foque na comida (principalmente no Saint Honoré) que você sairá feliz do filme!

les_saveurs_du_palais

Receitas da Isadora Becker – Doces de Cinema

Django Livre – Bolo branco

 Um Lugar Chamado Notting Hill – Brownie

Matilda – Bolo de Chocolate

Histórias Cruzadas – Torta de Chocolate da Minny

Bastardos Inglórios – Apfelstrudel

Crônicas de Nárnia – Manjar Turco

Intocáveis – Petit Gateau

Valente – Bolinhos Escoceses

Garçonete – Torta Oásis

A Princesa e o Sapo – Beignets

Walter Mitty – Bolo de Tangerina

Simplesmente Irresistível – Bombas de Creme

O Filho da Noiva – Tiramissu

American Pie – Torta de Maçã

*Você encontra mais receitas no livro ou no YouTube da Testmade.

Existem dezenas de filmes com gastronomia. A Festa de Babet, por exemplo foi um dos primeiros a que assisti na vida. O Comer, Rezar e Amar também passa pelo tema, e o Como Água para Chocolate gira em torno de uma cozinheira muito sentimental. Eu poderia falar sobre isso e não parar mais, porém acho que a matéria iria ficar longa demais!

rosemary_bebe_mousse

Espero que tenham gostado do passeio pelos filmes e sabores. Já tenho um na lista para assistir: Românticos Anônimos. Andei pesquisando e gostei da história que mistura amor e bombons!

Agora fiquem com a receita que adaptei do livro Doces de Cinema! Mudei o nome para Yaras, pois queria alegrar minha amiga que estava num dia ruim!

 

Yaras

Tempo total de preparo: 1 hora e meia
Nível de dificuldade: médio
Rendimento: 30 Yaras médias
Ideal para: servir em um brunch ou chá da tarde. Também é uma delicada sobremesa que permite o acompanhamento de sorvete e calda.

Massa choux

Ingredientes

1 Xícara de água
100 gramas de manteiga sem sal
1 Colher (sopa) de açúcar
1 Xícara de farinha de trigo (peneirada)
4 Ovos

Modo de fazer

Em uma panela, coloque a água, o açúcar e a manteiga e mexa até levantar fervura.

Retire a panela do fogo. Acrescente a farinha e mexa com um fuet (batedor).

Leve novamente para o fogo, misturando com uma colher de pau, até que a mistura fique compacta.

Retire do fogo e espere esfriar alguns minutos (encoste o dedo para verificar se já está morna).

Em uma tigela, misture os ovos com a ajuda de um garfo. Encorpore à massa com a ajuda de uma colher de pau.

Sua massa está pronta!

Utilize o papel manteiga ou tapete de silicone para assar suas Yaras. Coloque a massa no saco de confeiteiro e faça bolinhas do tamanho que desejar.

Asse no seu forno preaquecido em 180 graus até que elas fiquem bem douradas e com uma casquinha crocante.

Recheio

Ingredientes

1 Lata de leite condensado
3 Gemas
1 Lata de leite
1 Colher (sopa) de amido de milho
1 Fava de baunilha (sementes) ou 1 colher (café) de essência de baunilha

Modo de fazer

Em uma panela, mexa todos os ingredientes em fogo médio até a consistência ficar firme.

Retire o creme do fogo e deixe na geladeira por uma hora.

Cobertura

Ingredientes

1 Xícara de açúcar de confeiteiro
Leite
Corante alimentício em gel (pode ser líquido também)

Modo de fazer

Misture o açúcar, o corante e o leite. A cobertura deve ficar na consistência de um glacê para bolos (nem muito líquida e nem muito grossa). Dose a quantidade de leite e de corante para chegar na cor e no ponto ideal.

Montagem

Deixe suas Yaras esfriarem e recheie com o creme de baunilha. A maneira mais prática de fazer isso é com o saco de confeitar.

Molhe metade dos seus docinhos na cobertura e espere secar. Repita a aplicação.

Decore com confeitos e sirva!

Dicas

Utilize todos os ingredientes em temperatura ambiente, aliás, faça isso sempre, em qualquer receita, a não ser que esteja escrito algo diferente.

Eu usei o açúcar refinado e a farinha de trigo tradicional, mas você pode fazer variações e testes com diferentes tipos de açúcar e farinhas.

Eu sempre peneiro os ingredientes secos e os ovos, mesmo que a receita não peça. Essa é uma prática que acabei pegando, mas não é obrigatória (a não ser que a receita peça). Os ingredientes secos é para não ficar nenhuma pelotinha. Os ovos é para minimizar o cheiro e o sabor, quando eles não são o ingrediente principal.

A massa Choux desses doces é a mesma das Carolinas e Bombas. Existem algumas receitas diferentes, essa é uma das mais simples e o resultado é bom.

Na receita da massa, você vai perceber que existe uma variação de utensílios para mexer. Isso não é algo obrigatório, mas te ajuda a ganhar tempo.

❤ Procure fazer suas Yaras do mesmo tamanho para padronizar, mas você também pode brincar com diferentes formas!

❤ Não fique triste se suas Yaras não ficarem como você esperava. A prática leva ao bom desempenho. Eu sou super descoordenada e sempre tenho que treinar antes de fazer algo. Procure não apertar o bico do saco de confeiteiro contra a assadeira, faça uma bolinha de forma suave e faça uma saída rápida de cada unidade.

As minhas Yaras demoraram cerca de 30 minutos para assar, mas isso pode não ser verdade no seu forno. Então, preaqueça direitinho em 180 graus por 20 minutos e fique de olho.

Para suas Yaras cozinharem mais por dentro, você pode tirá-las do forno quando estiverem quase prontas, fazer um furinho por baixo (pode furar com um palito de churrasco ou a ponta do bico de confeiteiro) e deixá-las assar mais um pouco.

❤ Eu tenho raiva do papel manteiga, então uso sempre o tapete de silicone! Se a relação de vocês é boa, fique com ele (aproveita e passa aqui em casa e leva os meus).

Essa torre de Yaras é uma graça. Para fazer você só precisa fazer as bolinhas em tamanhos diferentes e colar com chocolate ou cobertura. Você também pode usar um palito para deixar a mini torre certinha, mas quando é desmontada nem sempre fica bonita.

bombas-coloridas

profiteroles-cor-de-rosa

profiteroles-rosa

Levei os doces em um jantar com meus amigos, e todos aprovaram! Você pode rechear de diversas formas e colorir como desejar ;D

Beijos para você!

12 comentários em “A confeitaria no cinema: doces de filmes famosos e uma receita muito delicada!”

  1. ai q legal, no outro site nao tinha achado o strudel do bastardos inglorios e vc postou aqui! pena q nao consegui ver a receita deu erro..morro de vontade de fazer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blog da Confeiteira

Gabi Ribeiro tem 32 anos, mora em São Paulo e é cineasta por formação, mas Confeiteira por paixão. A ideia do blog surgiu para que ela pudesse compartilhar dicas e sempre trazer novidades fresquinhas para todos os apaixonados por doces.

Load More