Especial Naked Cake – Parte 1: a tendência que precisa ser cuidadosamente executada!

carolmelonakedcake_blogdaconfeiteira
Naked cake de frutas vermelhas da Carol Melo

Tive um feedback bem positivo do especial de biscoitos e decidi fazer mais matérias semelhantes para o blog. Você já conhece o naked cake, né? Nesse especial você vai saber mais e se deliciar com cada detalhe!

O naked cake (bolo pelado) surgiu por volta de 2010 nos Estados Unidos, e existem algumas teorias sobre o motivo do seu aparecimento. Alguns dizem que os bolos com pasta americana ou coberturas açucaradas não agradavam, e algum confeiteiro resolveu deixar tudo mais saboroso. Outros dizem que o bolo pelado veio da preguiça (ou falta de conhecimento rs) de fazer um bolo tradicional confeitado. Não sei qual é a realidade, mas o fato é que esse tipo de tendência é uma cilada: aparentemente muito simples de fazer, mas a verdade é que requer um cuidado extremo para não virar um desastre total!

Eu não sou a mestre dos magos dos naked cakes, mas separei algumas dicas que podem te ajudar a entender mais esse tipo de bolo e fazer com que ele fique lindo e delicioso ;D

 

Dicas para um naked cake bonito e gostoso

Massa

  • Escolha sua massa com muito carinho, pois, diferentemente dos bolos cheio de confeitos, ela é sim uma protagonista! Uma massa úmida, fofa e doce na medida certa é sempre a melhor opção. Falando em fofura, o naked não pode ter uma massa super levinha se não vai afundar, mas também não dá para servir algo muito pesado e desagradar no paladar.
  • Combine a massa com a cobertura e decoração de  forma que tudo esteja em harmonia.
  • Não deixe seu bolo passar do ponto e assar demais, pois esses detalhes saltam aos olhos no bolo pelado.
  • Quanto mais fácil o bolo sair da assadeira, melhor para todos rs. Utilize a sua técnica querida de untar ou opte pelo velho e bom papel manteiga pincelado com manteiga sem sal.
  • Você pode molhar sua massa, mas o ideal é que ela já tenha uma umidade própria, pois umedecê-la pode fazer com que afunde e seu bolo fique parecendo panquecas com fermento rs. Gosto de bolos que vão iogurte, mas você pode testar diferentes receitas e achar a ideal.

Recheio e Cobertura

  • Utilize os recheios e coberturas em temperatura ambiente (a não ser que sejam recheios próprios para serem gelados ou quentes).
  • A maneira mais fácil de rechear e cobrir bolos é com o saco de confeiteiro. Você também pode utilizar uma espátula e fazer um acabamento mais rústico (o que não significa ser mal acabado).
  • Procure fazer recheios mais firmes e não o deixe escorrer. Já as coberturas podem ser mais cremosas e escorrer delicadamente.

Montagem e finalização

  • Nem todo o naked cake precisa ser com frutas, mas todos os bolos com frutas precisam de frutas bonitas, maduras no ponto certo e sequinhas (já viu aqueles bolos que parecem mais de Halloween?). Seque as suas frutas e as mantenha refrigeradas, mas sem contato com líquidos. Uma boa forma de evitar a umidade é finalizar o bolo com açúcar de confeiteiro, mas ele não faz milagre também rs.
  • Nada de montar o bolo antes de levar para uma festa (a não ser que seja no salão do seu prédio rs)! Todo o cuidado é pouco e é melhor não arriscar. Leve os discos, recheios na manga de confeitar, espátula e decoração e confeite na mesa da festa (isso no caso de bolos grandes e com perigo de desmoronar).
  • Você pode, tanto assar as camadas separadamente, como assar uma ou duas e cortar. Faça marcações com a faca para seu bolo ficar certinho ou use suas técnicas favoritas de corte – o acabamento bonito de cada disco é essencial. Também acerte a parte de cima do bolo para todas as camadas ficarem padronizadas (muitas vezes surge uma “lombada” ao assarmos a massa).
  • Se o seu bolo for de vários andares, o ideal é utilizar algum recurso para o seu bolo não desmoronar! Você pode usar tubos ou palitos, mas cuidado para não servir plástico para os seus convidados (minha dica é para que você corte as laterais). Lembre-se de “colar” um andar no outro utilizando o recheio.
  • Você pode fazer um acabamento sutil nas laterais (onde fica o recheio), para isso utilize uma cobertura e alise com uma espátula (fica mais fácil se tiver uma bailarina).
  • Não fique sambando com o bolo de um lugar para o outro na hora da montagem. Tente já colocar seu primeiro disco de massa no local onde ele será servido. Você pode usar um disco e mover o bolo, mas é bom ter uma base fixa (“cole” a primeira camada na sua bale fixa com o recheio).
  • Eu vejo muitos nakeds com flores e visualmente pode ser bonito, porém as flores precisam ser comestíveis e muito bem higienizadas. Se as flores forem só decorativas o cuidado na hora de servir precisa ser redobrado.
  • “Cole” as primeiras frutas com o recheio no topo do bolo e não apenas coloque em cima. Você também pode colocar frutas nas laterais e nos recheios.
  • Está na dúvida se seu naked é apresentável? Pode mandar a foto pra mim que serei sincera. Sou bem crítica com nakeds. Não por saber fazê-los perfeitamente, mas porque eu nasci assim, eu cresci assim, eu sou Gabrielaaaa…

 

Espero muito que eu possa ter agregado um pouquinho e deixo meu convite para a próxima parte do especial: Receitas – hummmm!

Beijo, beijo!

PS: Eu te amo.

PS2: Tava brincando no PS, pois eu sempre quis escrever isso.

PS3: Agora o PS de verdade: se você tiver mais dicas sobre o naked cake ou descordar de algo que eu escrevi, por gentileza, entre em contato comigo! Vamos conversar!

3 thoughts on “Especial Naked Cake – Parte 1: a tendência que precisa ser cuidadosamente executada!”

Deixe uma resposta

Blog da Confeiteira

Gabi Ribeiro tem 33 anos, mora em São Paulo e é cineasta por formação e blogueira por paixão. O blog da Confeiteira tem como principal objetivo compartilhar dicas e trazer novidades fresquinhas para todos os apaixonados por doces.